Ciclovias Arteriais no Rio de Janeiro

por
Jaime Colorado
Jaime Colorado | Feb 23, 2015 | em Mobilidade Urbana

Aproveitar as calçadas e se possível uma pequena parte da faixa de dominío (40cm) do transporte ferroviário carioca para atender ao "buraco" cicloviário na zona norte da cidade do Rio de Janeiro. Estes trilhos são as artérias da cidade e ligam bairros cujo relacionamento é intenso.

Experimentos vem sido feitos no mundo mostrando que estas paralelizações efetivamente articulam os bairros da cidade que já possuem relações socio-economicas, além de estimular o uso de veiculos não motorizados e também contribuir para qualidade visual e de segurança pública dos bairros cortados por sistemas ferroviários, com uso de grades ao invés de muros margeando os trilhos.

Calçadas à beira dos trilhos de trens e metrôs normalmente não são usadas longe das estações com exceção para estacionamento ilegal, despejo de lixo ou mero abandono sem calçamento e sem fiscalização, assim como em alguns pontos dentro da faixa de dominio, servem apenas para acumular mato e mosquitos.

Uma reforma implantando ciclovias e substituindo os muros por grades, dá nova vida aos bairros.

editado em abr 1, 2015 por Jaime Colorado

José Henrique Melman Feb 24, 2015

Importante tb ter estacionamentos de bicicletas e bicicletas de aluguel próximo às estações para aumentar a integração entre os modais.

Jaime Colorado Feb 24, 2015

Com certeza. Tem algumas ideias falando isto por aqui, como bicicletario nas estações e bicicletas nos vagões.  Minha ideia é mais na linha de como elas chegariam até estes.

Marcos Aurélio Bassolli Alves Feb 24, 2015

Olá Bolanhos,

Excelente ideia. Fiz a proposição da construção de ciclofaixas interligando as ciclovias e as regiões da nossa cidade.

Sim, temos muitas ciclovias. No entanto, elas estão desconectadas uma das outras. Dessa forma, é impossível ir da Tijuca ao Centro ou mesmo da Praça da Bandeira ao centro porque não temos ciclofaixas.

Uma vez chegando ao centro é possível seguir em ciclofaixas/ciclovias até a zona sul (Flamengo, Botafogo, Urca, Leme, Copacabana, Ipanema, Gávea).

Como disse, a construção de ciclofaixas interligando as ciclovias e regiões da cidade é uma forma de facilitar o deslocamente e integrar a cidade.

Att.

Marcos

Jaime Colorado Feb 24, 2015

Desculpe, mas o Rio não tem muitas ciclovias. a Zona Sul e parte da Zona Oeste tem muitas. A Grande Tijuca vai passar a ter muita, mas o resto da zona norte não tem, como mostrado nesta ideia.

Ciclofaixas compartilhadas na rua é algo assustador com os modelos de ruas que temos no RIo, onde de 5 faixas converte-se em 2, ou carros param em fila dupla em porta de escola.

Esta ideia dá uso a uma área inútil, que são estas calçadas, e transforma em algo mais protegido para o ciclista. A grande vantagem também é o foco em uma área de vazio de ciclovias que é os bairros próximos ao trem e metrô.

A conexão vai ser necessária, mas somente depois de haver o que conectar, infelizmente.

 

Luis Junior Feb 25, 2015

Com relação a ciclofaixas, creio que elas deveriam ter blocos de concreto iguais aos do BRT para segurança dos ciclistas. Tem muita gente mau educada no trânsito que usa essas faixas de estacionamento ou para cortar engarrafamento.

Acho muito boa a ideia de bicicletários principalmente perto das estações de trem e metrô. a Estação Colégio tem uma área de parquinho morta e degrada, um bicicletário seria mais útil. Mesmo a região não possuindo cliclovias, vias residências tem pouco trânsito e servem para  o deslocamentoe de bicicleta. 

Pavuna tem uma ciclovia beirando o metrô, mas é escura, deserta, pouco sinalizada. Concordo com o uso da construção de ciclovias beirando trens e metrôs. As vezes até tem espaço dentros dos limites da Supervia, mas não sei se é viável derrubar e construi novos muros para usar estes espaços. 

Jaime Colorado Feb 25, 2015

Também acredito que as ciclovias devem ser prioritárias frente a ciclofaixas e que taxões, no mínimom deveriam segregar as mesmas

Algumas ruas do Rio foram feitas para passar carroças e não foram corretamente adaptadas para transito de onibus e caminhões, ficando apertado para colocar também uma bicicleta junto.

Virginia Amorim Feb 25, 2015

Seria legal implementar no projeto a plantação de árvores junto com as ciclovias para poder fazer sombra. O rio no verão é insuportavelmente quente e andar de bicicleta não deixa de ser um exercício físico. 

Jaime Colorado Feb 25, 2015

Esta implantação de ciclovias é mais apenas o trajeto. Na ideia coloca a questão da substituição dos horrorosos muros da Supervia por grades, que já melhora bastante, mas no exemplo da Av. Martin Luther King Junior, espaço para arborização é o que não falta, assim como em alguns trechos da Supervia. O projeto é para ser também um "banho de loja" nas áreas que a Prefeitura atualmente virou as costas (pelo que é possível ver nas fotos)

Usuários marcados:

Secretaria Municipal de Meio Ambiente Mar 6, 2015

Olá, Jaime. 

A sua proposta é muito boa e, inclusive, seria tecnicamente viável. No entanto, a Central do Brasil é de administração estadual, concedida a Supervia. Esse tipo de obra iria impactar inclusive a operação ferroviária com a derrubada e recuo do muro. É importante lembrar que o projeto dependeria também de uma articulação entre as instancias municipal e estadual. Algo que já vem acontecendo em outros projetos pela cidade.

Obrigado pela sua participação! Seguimos abertos para receber mais ideias.

Leonardo Novarino Costa Mar 23, 2015

Mas toda essa articulação é possível graças a viabilidade prática das obras. O aproveitamento desses espaços além de interligar a cidade trará possibilidades de reurbanização de diversos bairros que são cortados pela malha ferroviária.

Sobre a derrubada e recuo de muros será feita em trechos de distância considerável dos trilhos, não tendo muita influência direta nas operações da Supervia. É uma ideia de grande valor e que precisa muito ser considerada. Um breve estudo desses trechos já qualifica essa obra e sua importância para os deslocamentos de bicicleta.

Claudia N. Paiva Mar 26, 2015

Essa articulação tem que ser feita por vcs! O projeto é fenomenal e resolve os problemas mais críticos para trazer qualidade de vida à população.

View all replies (2)

Jaime Colorado Mar 6, 2015

A derrubada e SUBSTITUIÇÃO dos muros por grade é um quesito urbanistico importante para a qualidade de vida e segurança dos cariocas. Como o próprio Prefeito Eduardo Paes disse, quando falando da A.E.I.U da Transcarioca: "Muros enfeiam e são perigosos". Esta opção é mais que apenas ciclovia, trata de poluição visual. Qualquer carioca que mora em bairros que são cortados pela Supervia sabem disso.

De qualquer forma, como consta em sua resposta, a parceria municipal e estadual já está acontecendo, logo não há impecilhos, já que inclusive em vários trechos o muros dista muito da operação atual de trens, o que não impacta a operação.

Independente desta discussão, as calçadas estão livres para aplicação da ideia..

Jaime Colorado Mar 16, 2015

Inclusive pode ser aplicada na Ciclovia projetada da Rua Leopoldina Rego e da Rua Cardoso de Morais, antes que o traçado esteja efetivamente contratado no traçado atual:

http://pcrj.maps.arcgis.com/apps/webappviewer...87564b4fb8defdc

 

Bruno Da Silva Costa Mar 25, 2015

LISAS

Claudia N. Paiva Mar 26, 2015

Projeto fenomenal! Alguém com cabeça na prefeitura deveria contratá-lo, pelo conhecimento que exibe dos problemas do Rio, para encabeçar a realização de seu projeto. Por favor, Prefeitura, não ponham obstáculos burocráticos ao projeto; burocracia entre níveis de governo são para vcs resolverem.

Jaime Colorado Mar 28, 2015

Devo confessar que um emprego no meu atual momento viria bem a calhar. Obrigado pelo elogio.

Ágora Rio Apr 2, 2015

This idea has been advanced to the next phase

Márcia Martinez Apr 13, 2015

Qualquer ideia que vise a implantacao de ciclovias é super bem vinda. Moro no Grajaú e trabalho no centro. Adoraria poder ir de bicicleta.

Share