Ligação direta Av.Brasil - Av. Américas que não obrigue a passagem pelo centro de C.Grande

por
Fábio Almeida
Fábio Almeida | Mar 31, 2015 | em Mobilidade Urbana

   O Bairro de C.Grande atualmente sofre com constantes engarramentos a qualquer hora do dia, suas vias estão com esgotadas e já não dão conta do grande fluxo de veículos, o mais populoso bairro do Rio e o 3º mais motorizado não dispõe de estrutura viária suficiente para o grande número de tráfego. Uma das causas? todas as suas principais vias convergem num só ponto, o centro. Se um morador quiser se deslocar entre os sub-bairros mais distantes de Campo Grande obrigatoriamente terá que se deslocar até a área central, que por seu famoso e abrangente comércio atrai não só os moradores do próprio bairro, mas de toda Zona Oeste e de  outras cidades da Baixada Fluminense mesmo sem possuir a infraestrutura necessária para ao grande número de pessoas que visitam a área central diariamente, o bairro é dotado de 2 grandes centros comerciais ( West Shopping e ParkShopping) além de outros shoppings menores, possui 2 grandes hospitais, universidades e faculdades, sendo uma pública (UEZO), vários centros médicos e muitos outros atrativos como por exemplo o seu conhecido Calçadão o bairro ocupou o 2º lugar em arrecadação de ICMS - em 2008, com o número de R$ 1.344.175.475,50. perdendo apenas para o Centro com R$ 2.309.355.332,32. (AGICG, 2009). Outro dado importante é que o calçadão recebe cerca de 250 mil pessoas por dia, sendo considerado um shopping à céu aberto.                                                                                                      A Avenida Brasil e a antiga Estrada Rio-São Paulo são eixos estruturantes da cidade, pois encontram-se com outras vias de importância estadual e interestadual, como é o caso das Rodovias Rio-Santos e Presidente Dutra. A primeira permite o acesso à região sul-fluminense e a segunda a Seropédica e Nova Iguaçu, além disso, as duas rodovias culminam no estado de São Paulo. Além, disso é necessário destacar a importância do trem e transporte alternativo para a locomoção pela cidade, este muitas vezes oferece trajetos diferenciados, não concedidos pelos ônibus regulares. O Terminal Rodoviário de Campo Grande opera em péssimas condições de infraestrutura, com a presença de ambulantes e moradores de rua convivendo juntamente com os passageiros.Apesar do grande número de linhas de ônibus da Zona Oeste passarem por Campo Grande, este número é claramente insuficiente, já que o bairro é o mais populoso da cidade, concentrando uma população menos abastada que necessita do transporte público. Simultaneamente a estas complicações, a classe média/alta ali residente realiza seus deslocamentos até os locais de trabalho em veículos próprios, alterando a dinâmica do tráfego no bairro, com engarrafamentos diários, até mesmo fora do horário de rush.                                                      

Ainda em relação a estrutura viária, com efeito, desde a chegada do West Shopping, o tráfego sofreu alterações consideráveis, acentuando-se nos últimos anos. Mesmo com a melhoria das estradas no entorno, os moradores ainda reclamam do fluxo intenso de automóveis, que por vezes triplica o tempo de deslocamento. Um fator agravante é que, segundo o Jornal O Globo Campo Grande conta com a terceira maior frota de veículos da cidade, ratificando a precariedade do transporte público pela lógica de facilidade no deslocamento individual. É importante ressaltar também, que as linhas de vans e kombis prejudicam a fluidez do trânsito, já que seus motoristas, em busca de passageiros, não respeitam os pontos de ônibus, além de ultrapassar sinais ou trafegar lentamente à espera de mais clientes.                                              Recentemente na tentativa de melhorar a fluidez do trânsito, uma via de grande importância para a localidade foi duplicada, a Estrada da Caroba. O fato é que as obras duraram mais de dois anos, o que implicou em uma mudança de trajetos que causou ainda mais contratempos. Uma reportagem de 2011 evidenciou estas problemáticas e ainda notificou a falência de praticamente todo o comércio que havia nesta via, devido à diminuição da circulação veicular. Outras estratégias visam sanar o problema do trânsito, como dois viadutos,já em funcionamento no bairro de Inhoaíba e, o outro, em Santíssimo.Campo Grande a seus arredores foram a última fronteira de expansão para a população carioca. Os Distritos Industriais instalados com grandes empresas indicam o crescimento da área. Com a construção do novo Hospital Estadual Rocha Faria na Est. do Mendanha e a construção do novo Campus da EUZO na Av.Brasil, essas melhorias se fazem de grande importância, pois deve aumentar consideravelmente o fluxo de veículos nas vias arterias do bairro.                                                                                                                                                                                                                                Sugestão                                                                                                                        Proponho a construção de uma via direta entre a Av.Brasil e a Av.Américas sem que seja necessário passar pelo centro do bairro, isso diminuiria os grandes engarramentos que se formam todos os dias no centro e em vários outros pontos do bairro, assim será possível viajar entres os sub-bairros e até outros bairros da região. Tal via possibilita a criação de novas linhas de ônibus BRS entre a Av.Brasil e a Av.Américas.                                                                                                                                                                                                                                                1ª imagem vemos a área de abrangência do bairro                                                                                                                   2ª imagem localizações e principais vias do bairro                                                                                                                       3ª imagem opção 1 do trajeto proposto com apenas 14 km a ligação entre a Av. Brasil e Av. Américas, percursso av.brasil, rua D.Elisa, Estr. Carvalho Ramos, R.Osvaldo Pereira, Est. Inhoaíba, R. Adolfo Lemos (integração Supervia estação Inhoaíba), Av. Cesário de Melo (INTEGRAÇÃO TRANOESTE), túnel de aproximadamente 1km, Est. do Magarça, Est. do Aterrado do Rio, nova via beirando o Rio Piraquê até chegar à Av. Américas.                                                                                                                                                                               4ª imagem vemos a comparação entre os dois trajetos proposto, os dois trajetos implica em poucas remoções, já que a maior parte do percusso passará por vias prontas e por grande áreas desocupadas, propícias para a construção de novas avenidas, a escolha de um dos trajetos fica a cargo da Prefeitura.                5ª imagem com apenas  15 km Av.Brasil, R. Doná Elisa, R. jOSÉ Siqueira Júnior, Est. Santa Maria, Est. do Campinho, R. Murilo Alvarenga ( EUZO e Sarah Kutisheck ) , R. Nova Cidade, R. C.Grande( integração Supervia, Estação Benjamin do Monte), Rua2, Av.Cesário de Melo(integração trnaoeste), nova estrada beirando a R.Pedro de Azevedo, (possível túnel de 700 mts), nova via paralela à R. Giordano Vicenzo e Estrada do Cabuçu de Baixo e nova estrada beirando o Rio Piraquê até chegar à Av. Américas.                                   6ª imagem vemos a comparação dos dois trajetos, mais uma alternativa à opção 1 (3ª imagem da lista), pois essa alternativa ao invés de seguir pela Rua Osvaldo Pereira e Estrada Carvalho Ramos, segue direto pela Estr. de Inhoaíba, dobra na Av. Manuel Caldeira de Alvarenga, R. Cotipora e segue numa nova via a ser construída, até o viaduto Oscar Brito. Tal percurso possibilita a ligação direta com a BR 465 - antiga Rio-SP. nessa mesma imagem vemos também a possibilidade de ligação com a seguinte proposta.  https://desafioagorario.crowdicity.com/post/93598                                                                                                                              7ª imagem vemos a área central do bairro, reparem que todas as vias levam a um só ponto.            

no arquivo PDF retirado do próprio site da Prefeitura http://www.rio.rj.gov.br/web/smu/exibeconteudo?id=2879239   onde  estão disponíveis diversos arquivos para que você conheça o Plano Diretor  de Desenvolvimento Urbano Sustentável do Município do Rio de Janeiro (Lei Complementar 111/2011) e alguns de seus desdobramentos, o arquivo no site é o de nº 16 relacionado a transportes, isso já demonstra a grande importância dessa obra, que precisa ser posta em prática, será o único acesso direto na Z.Oeste (AP5) a ligar a Av.Brasil e Av. das Américas.                           

editado em abr 2, 2015 por Fábio Almeida

José Henrique Melman Mar 31, 2015

Sugestões para a postagem em si: 1) seria legal alterar o título para sinalizar que a intervenção é na região de Campo Grande para não confundir (primeira pergunta que me veio à mente foi "ué, e a Linha Amarela?") e atrair a atenção dos usuários; 2) uma ajeitada na formatação poderia ajudar a leitura, o texto tá um "blocão", quando eu quis dar uma pulada para a sugestão (às vezes a pessoa quer consultar antes de ler o restante do texto), tive dificuldade de localizar.

De resto, não sei muito sobre Campo Grande para opinar...

Fábio Almeida Mar 31, 2015

Valeu pela sugestão jhmelman, realmente o texto ficou muito confuso, vou reeditar e alterar o título.

Ronaldo Vásquez Mar 31, 2015

Seria muito bom, quem sai da Estr. do Tingui, Rio-São Paulo ou Carvalho Ramos e vai em direção à Guaratiba, Recreio ou Barra é obrigado ir pela Est. do Campinho ou Est. do Mendanha em direção ao centro de Campo Grande para passar pro outro lado e pegar a Est. do Monteiro que com o ParkShopping e construções de vários condomínios daqui à pouco vai estar inviável, pior que Jacarepaguá e Prefeitura tem que estar de olho nisso.

José Henrique Melman Mar 31, 2015

Uma ideia com outra abordagem: https://desafioagorario.crowdicity.com/post/100736

Fábio Almeida Apr 3, 2015

Mto legal essa ideia jhmeman !!! ideal para esses bairros (C.G, Taquara e Tijuca), sei que C.G e Tijuca já tiveram bondes, seria como uma volta ao passado e oas linhas de vlts propostas poderiam atém substituir várias linhas de ônibus, só fiquei na dúvida sobre a Rio-SP, ela é Federal e ainda de mão dupla, precisaria duplicar, há espaço de sobra para fazer isso não precisaria de remoções, mas para  isso a Prefeitura precisaria de um acordo com o Gov.Federal, nada muito complexo, já que a Brasil apesar de Federal mas creio que a responsabilidade é da Prefeitura, espero que seja o mesmo caso da Rio-SP, alguém aqui no desafio propôs a duplicação da estrada, mas puseram aquela tag rosa dizendo ser atribuição do Governo Estadual. 

Usuários marcados:

Guilherme Santos Apr 1, 2015

ótima ideia!!! Quem mora nos sub-bairros de Vila Nova, Conj. do Campinho, Stª.Margarida, Oiticica, Magali, Cidade Nova, Adrianas, São Jorge e tantos outros e quer chegar na Av.das Américas é obrigado a passar pelas ruas C.Grande, Av.Cesário de Melo, Est. do Mendanha e passar no centro de C.Grande para depois pegar a Est. do Monteiro, não tem outra alternativa, a área central está um caos.

Ágora Rio Apr 2, 2015

This idea has been advanced to the next phase

Share